27.1 C
João Pessoa
segunda-feira, 07 06 2021
#PUBLICIDADE

Justiça nega pedido de prisão preventiva de policiais sergipanos suspeitos de matar empresário paraibano na cidade de Santa Luzia

O pedido prisão preventiva foi negado pelo juiz Rossini Amorim Bastos, da Comarca de Santa Luzia, que no despacho alegou que o delegado da Polícia Civil, Osvaldo Resende Neto, o policial civil José Alonso de Santana e o policial militar Gilvan Moraes de Oliveira (Sargento Gilvan), concretamente não oferecem os riscos fundamentados no pedido do ministério público (garantia da ordem pública, conveniência da instrução criminal e resguardo da aplicação da lei penal), “por esse motivo indefiro os pedidos de prisões preventivas dos denunciados”, disse o magistrado.

O promotor de justiça do Ministério Público da Paraíba que acompanha o caso informou que vai recorrer da decisão.

Conclusão do Inquérito

A Polícia Civil da Paraíba concluiu o inquérito que apurou a morte do advogado Geffesson de Moura Gomes, e representou pela prisão preventiva dos policiais do estado de Sergipe, Osvaldo Resende Neto, José Alonso de Santana e Gilvan Moraes de Oliveira (Sargento Gilvan), envolvidos no crime. Eles foram indiciados por cometerem os crimes de homicídio qualificado e fraude processual, pela adulteração da cena do crime.

O relatório final já foi enviado ao Ministério Público, que acatou a conclusão da Polícia Civil e ofereceu denúncia à Justiça contra os policiais que foram presos provisoriamente até a conclusão do inquérito.

O delegado Glauber Fontes, designado em caráter especial para apurar o caso, destacou alguns pontos que foram essenciais para a conclusão do inquérito e que justificam o pedido de prisão preventiva dos policiais sergipanos.

“Os policiais estavam ali não para prender, mas para executar, pois os disparos comprovam isso, sendo oito disparos à queima roupa. Além disso, para tentar ludibriar a investigação eles jogaram uma arma no carro da vítima e apresentaram essa arma apenas na Delegacia de Patos e não no local do crime, caracterizando o crime de fraude processual”, disse o delegado Glauber Fontes.

Outros agravantes foram encontrados durante a investigação da Polícia Civil da Paraíba, que revelou que o delegado da Polícia Civil de Sergipe, Osvaldo Resende, já tinha envolvimento em uma situação muito semelhante no ano de 2020 em Tamandaré, quando assassinou o tio de Luiz Henrique, que era o alvo que eles realmente queria, ou seja, já havia um problema familiar entre a equipe do delegado e o investigado Luiz Henrique, que era o alvo que eles procuravam”, destacou Glauber Fontes.

O que o relatório aponta é que o advogado Geffesson de Moura Gomes foi morto por engano, pois o alvo da equipe sergipana era o investigado Luiz Henrique Cunha Carvalho. Outro ponto é a questão da arma que foi atribuída a Geffesson. Segundo o delegado Glauber Fontes, a arma tinha sido revendida para um policial militar do estado de Sergipe que, inclusive, encontra-se preso.

O delegado Sylvio Rabelo, da 3ª Superintendência de Polícia Civil da Paraíba, que investiga os casos relacionados a várias cidades do Sertão, destacou que o relatório é preciso e com base em uma investigação minuciosa, não deixando dúvidas quanto as autorias do crime.

“No que tange à autoria, não remanescem dúvidas. O autor dos oito disparos de arma de fogo que ceifaram a vida da vítima foi o delegado da Polícia Civil do estado de Sergipe, Osvaldo Resende Neto. Os policiais José Alonso de Santana e Gilvan Morais de Oliveira deram o apoio necessário para a consumação do crime ao realizarem as abordagem com o propósito previamente definido: localizar e executar a vítima Luiz Henrique Cunha Carvalho. O que deu errado, no momento da consumação do crime, foi o fato de Geffesson ter sido confundido com Luiz Henrique”, ressaltou delegado Sylvio Rabelo.

“O Ministério Público já ofereceu denúncia e concordou com a Polícia Civil quanto à prisão preventiva dos indiciados. Ficamos agora no aguardo da decisão judicial que deverá sair nas próximas horas”, concluiu o delegado Glauber Fontes.

ENTENDA O CASO

No dia 16 de março deste ano, por volta das 22h, uma equipe da Polícia Civil de Sergipe entrou em território paraibano para realizar diligências quando abordou o advogado Geffesson de Moura Gomes, que trafegava pela rodovia federal BR-230, à altura do município de Santa Luzia, sertão do estado,

O objetivo era prender um grupo criminoso que atua em roubos de cargas e outros crimes em Sergipe e que havia se escondido na Paraíba. Os policiais de Sergipe estavam de posse de mandados de prisão expedidos pela Justiça para serem cumpridos durante a ação.

Os policiais sergipano, no entanto, não deram qualquer chance do advogado paraibano se explicar ou se apresentar, pois, ao confundí-lo com um dos procurados, já foram atirando e atingiram a vítima com oito disparos à queima-roupa.

Eles ainda levaram a vítima, já sem vida, e a deixaram na frente do hospital de Santa Luzia. Também apresentaram uma arma de fogo à Delegacia de Patos como se fosse do advogado e alegando tê-la encontrado no carro do mesmo.

A Polícia Civil da Paraíba instaurou inquérito e investigou o caso, pedindo, a princípio, a prisão temporária dos suspeitos, e agora com a conclusão do inquérito, representou e o Ministério Público acatou, oferecendo denúncia pela prisão preventiva dos policiais sergipanos.

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas

O Núcleo de Apoio ao Estagiário (NAE) realiza a Semana D, campanha de doação de sangue para o Hemocentro.

O Núcleo de Apoio ao Estagiário (NAE) é a única Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional da Paraíba, formada apenas por...

Em vídeo: Onyx alerta que processará jornalista que escreveu Fake News do “orçamento secreto”

Nesta terça-feira (11), o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, através de vídeo postado nas suas redes sociais, fez críticas a uma...

Governo Federal não convida Prefeito de Cabedelo para inauguração do viaduto de Intermares

O viaduto faz parte da Triplicação da BR-230 e tem por objetivo o aumento da capacidade de tráfego e escoamento da produção da região...

Mais Lidas

O Núcleo de Apoio ao Estagiário (NAE) realiza a Semana D, campanha de doação de sangue para o Hemocentro.

O Núcleo de Apoio ao Estagiário (NAE) é a única Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional da Paraíba, formada apenas por...

Em vídeo: Onyx alerta que processará jornalista que escreveu Fake News do “orçamento secreto”

Nesta terça-feira (11), o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, através de vídeo postado nas suas redes sociais, fez críticas a uma...

Governo Federal não convida Prefeito de Cabedelo para inauguração do viaduto de Intermares

O viaduto faz parte da Triplicação da BR-230 e tem por objetivo o aumento da capacidade de tráfego e escoamento da produção da região...

Vitor Hugo realiza projeto inédito de georreferenciamento com mapeamento 3D em Cabedelo

A tecnologia é uma forte marca da gestão do prefeito Vitor Hugo em cabedelo. O projeto conhecido como Cabedelo na palma da mão é...